BBB 21 chega à final com números recordes e favoritismo de Juliette

Independentemente de quem se sagrar vencedor da 21ª edição do Big Brother Brasil (estão na disputa Camilla de Lucas, Fiuk e Juliette, com as enquetes apontando o favoritismo disparado desta última), o programa se encerra nesta terça-feira (4) tendo como grande campeã a Globo.

A emissora alcançou uma audiência há muito não vista, o que se refletiu em faturamento por meio de cotas de patrocínio de até R$ 78 milhões. Se só tivesse um desses anunciantes, o que está longe de ser o caso, a emissora já faturaria mais do que 50 vezes o valor do prêmio dado ao vencedor.

Da estreia até a última quinta-feira (29), a média de audiência foi de 27 pontos no PNT (Painel Nacional de Televisão), onde cada ponto equivale a 268 mil domicílios nas 15 maiores regiões metropolitanas do país. Com isso, superou em 13% a média de audiência do BBB 20, que já havia sido considerado um sucesso.

Além disso, o programa teve em média 51% de participação. Isso equivale a dizer que mais da metade das televisões ligadas no horário em que era exibido a atração estava sintonizando às peripécias dos participantes. O número é maior que o das oito edições anteriores.

Em uma edição de cancelamentos -tendo os três primeiros lugares de participantes eliminados com as maiores porcentagens-, o recorde de audiência da temporada se deu no dia 23 de fevereiro.Trata-se do dia em que Karol Conká foi eliminada com 99,17% dos votos, a maior rejeição de todos os tempos.

Nesse dia, foram 36 pontos de audiência, número que não era alcançado pelo programa desde março de 2015, e 63% de participação, algo que não era visto desde março de 2012. Foi a maior audiência registrada em pelo reality show em exibições às terças-feiras, desde a final do BBB 10, há 11 anos.

Se por um lado a Globo resgatou níveis de audiência que há muito não se viam, por outro as unanimidades geradas pelas atitudes de alguns participantes não deixaram a emissora chegar nem perto de 1,5 bilhão de votos conseguidos no Paredão que eliminou Felipe Prior no BBB 20 -ele disputou a permanência com Manu Gavassi e Mari Gonzalez.

Desta vez, até pela pouca polarização entre as torcidas, os números são mais modestos. O Paredão que recebeu mais votos foi o de 30 de março, que eliminou a participante Sarah Andrade e deixou na casa Rodolffo Matthaus e Juliette Freire. Foram “apenas” 654.386.216 milhões de votos. Até a eliminação de Gilberto Nogueira, o quarto colocado desta edição, foram 3.796.243.096 ao todo.

A Globo, no entanto, diz que, se os números totais foram aquém da edição anterior, o mesmo não se pode dizer da velocidade com que o público votou. O recorde foi batido duas vezes, sendo a primeira no dia 23 de março, no Paredão entre Carla Diaz, Fiuk e Rodolffo, que terminou com a atriz eliminada.

Na ocasião, a emissora registrou 2,9 milhões de votos por minuto. Porém, no dia 27 de abril o recorde foi quebrado novamente. Foram 3,6 milhões de votos por minuto no Paredão entre Arthur Picoli, Camilla de Lucas e Pocah, no qual o instrutor de crossfit levou a pior.

Nas redes sociais, os debates em torno do programa foram dominantes desde a estreia, em janeiro. Foram memes, discussões sobre quem deveria ser eliminado e muito engajamento das torcidas. Juliette, favorita ao título da temporada, se tornou a participante mais seguida do Instagram.

Após entrar com menos de 4.000 seguidores na casa, ela acumulou mais de 23,4 milhões de seguidores no Instagram. Ela só perde nesse quesito para uma das maiores musas que já passaram pelo programa, Sabrina Sato (BBB 3), superando até Grazi Massafera (BBB 5), que teve uma carreira artística de sucesso após o programa.

Na mesma rede social, Gilberto se tornou o homem mais seguido entre todos os participantes do sexo masculino de qualquer edição do programa -saiu do programa com 9 milhões e, em poucas horas, já havia passado dos 11 milhões.
Vale lembrar que tanto Juliette quanto Gil são participantes do grupo Pipoca, formado por anônimos, enquanto metade dos elencos do BBB 20 e do BBB 21 era do grupo Camarote, com pessoas que já eram famosas antes do reality show.

No Twitter, plataforma que costuma concentrar muitos comentários sobre o que está acontecendo na programação da televisão, o programa também concentrou as conversas. Foram 172,4 milhões de publicações espontâneas sobre o BBB 21 até a última terça-feira (27).

Esse número corresponde a 16% a mais que o registrado no mesmo período do BBB 20 e 697% a mais que o BBB 19. Além disso, entraram nos trending topics (lista dos assuntos mais comentados da plataforma) 4.078 termos relacionados ao programa, sendo que 1.025 estiveram entre os temas mais discutidos do mundo.

O programa também trouxe bons resultados para o Globoplay, serviço de streaming do Grupo Globo. No dia seguinte à estreia, o número de assinaturas foi 11 vezes maior que a média –a empresa não divulga os números.

Os conteúdos relacionados ao programa somaram mais de 2,5 bilhões de visualizações. Os mais vistos foram a volta do Paredão falso de Carla Diaz, a saída de Lucas Penteado (que desistiu da competição após ser perseguido por alguns colegas) e a prova de resistência vencida por Viih Tube.

Era tanta gente assistindo ao mesmo tempo que o serviço chegou a cair ou apresentar falhas em alguns momentos. O recorde de acessos simultâneos, segundo a empresa, ocorreu no dia 29 de março, após um Jogo da Discórdia em que precisavam bloquear um participante e dizer quem consideravam o caça likes da casa.

Créditos: Notícias Ao Minuto